Pular para o conteúdo principal

Postagens

Destaques

Não há mistério na bondade

Passei tantos anos tentando entender a filosofia masculina de (geralmente) não se envolver demais, se mantendo perto o suficiente para que a mulher (geralmente) se envolva mais do que deve. MAS PORRA, isso é tão obvio! Ok, vamos por partes...
Eu sempre fui daquelas garotas que quando gostam querem agradar, cuidar, fazer o caralho a 4 sem pensar no que está levando em troca. Sério. E, sempre, sempre mesmo, quando o cara me dava um pé na bunda alegando não querer nada sério, ficava me martirizando tentando ver o que eu fiz de errado. Mas eu não tinha feito nada de errado!
Hoje enquanto conversava com um amigo sobre a garota que ele está ficando, ele soltou que está com ela pra ter companhia,e porque ela gosta dele e assim ele pode ser ele mesmo, mas, quando cansar ele larga. PORRA! Eu sempre fui essa garota, a que entende, que faz companhia e que depois acabava cansando. E é tão óbvio, sempre fui um alvo tão fácil. Eles nunca queriam me namorar porque eu fazia o tipo amigona, mesmo se …

Últimas postagens

Só por desencargo de não consciência

O que são anos diante da oferta do destino

Por Serafina e seus melodramas patéticos

Domingo

A versão do outro

Amor

Nota de desintoxicação

Pausa para a depressão

Não existe título porque é tudo uma confusão/confissão